Pesquisa da Anatel mostra a satisfação geral com a telefonia brasileira

natel divulgou na última terça-feira (29) os resultados de uma pesquisa destinada a medir a satisfação e a qualidade percebida pelos consumidores em relação a serviços de telefonia, banda larga fixa e telefonia móvel (pós e pré-paga) no Brasil. A pesquisa usa como base 150 mil ligações telefônicas realizadas durante o segundo semestre de 2015.

Em nível nacional, a telefonia fixa foi o serviço mais bem avaliado, obtendo 6,97 (de 10 pontos possíveis) em sua nota de satisfação. Ela foi seguida pela telefonia celular pós-paga (6,72), pré-paga (6,62) e pela banda larga fixa (6,58). A pontuação representa tanto a percepção dos consumidores sobre a qualidade dos serviços prestados quanto aspectos como o funcionamento, a cobrança, a oferta e a contratação de serviços, entre outros.
Segundo a Anatel, as principais insatisfações dos consumidores brasileiros estão relacionadas ao atendimento telefônico das prestadoras (incluindo o tempo de espera para falar com um atendente) e a capacidade delas de resolver demandas (como mudar planos ou corrigir faturas que contêm alguma espécie de erro).

Melhorando a prestação de serviços

A pesquisa também detectou que, em alguns casos, metade dos entrevistados havia entrado em contato com uma prestadora nos seis meses anteriores para resolver problemas de cobrança ou pedir reparos de serviços. Segundo a superintendente de relações com os consumidores da Anatel, Elisa Leonel, o estudo é necessário para permitir uma compreensão melhor de como as empresas da área estão atuando no Brasil.
Elisa Leonel, superintendente de relações com os consumidores da Anatel
“Em primeiro lugar, ao publicarmos os resultados, estamos dando ao consumidor informações essenciais para que ele possa escolher qual prestadora irá contratar. Ao mesmo tempo, a pesquisa dá à Anatel informações essenciais para que ela possa direcionar suas ações de fiscalização, de controle e mesmo os seus regulamentos para solucionar os problemas que mais geram insatisfação nos consumidores”, afirmou.

Inclinar a geladeira para trás ajuda a economizar energia… Hã?

loucura, é verdade.
E de onde é mesmo que eu saí com esta história? Muito simples, a geladeira é uma das grandes vilãs de energia de uma residência, por vários motivos que tem a ver com o uso que os donos da geladeira fazem.
A minha conta de energia neste mês que mais uma vez veio com um grande aumento na tarifa aqui em SP, vei com um valor próximo a R$ 400. É de chorar.
Como aqui em casa a geladeira já estava precisando ser trocada a tempos, pois ela já não está mais nem desligando o freezer, fica funcionando o tempo todo e com isto o consumo de energia fica sempre alto, resolvi comprar uma geladeira nova esta semana, mas também resolvi procurar algumas dicas para economizar energia ao usar a geladeira.
São muitas dicas para economizar energia ao usar a geladeira que se encontra ao pesquisar no Google, entre elas está a questão da inclinação da geladeira, veja algumas:
– Ficar de olho no selo Procel para ter certeza de que está comprando uma com maior eficiência energética e menor consumo de energia.
– Deixar espaço entre os alimentos para a circulação do ar frio.
– Não forrar as prateleiras para não dificultar a circulação do ar frio.
– Regular o termostato adequadamente de acordo com o clima da sua região.
– Limpar as serpentinas da parte traseira da geladeira para facilitar o funcionamento do sistema de refrigeração da geladeira.
– Não secar roupas na parte de trás da geladeira, isto por que a serpentina precisa estar livre e de ar para funcionar adequadamente.
– Regular os pés da geladeira de maneira que a geladeira fique um pouco inclinada para trás de maneira que a porta feche sozinha mesmo que o usuário esqueça a porta da geladeira aberta. Desta maneira a porta obrigatoriamente ficará menos tempo aberta evitando que o ar frio escape da geladeira, gerando uma boa economia de energia.